Links Úteis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Internacional

Caso seja detido pela justiça norte-americana

Guiné-Bissau: António Indjai ameaça suicidar-se

Bissau - O Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas da Guiné-Bissau, António Indjai, ameaçou suicidar-se, caso seja detido pela justiça norte-americana, deixando claro que pode ser capturado pelas autoridades dos Estados Unidos a qualquer momento.

Em declarações no âmbito da cerimónia de abertura da 1.ª Conferência Nacional de Segurança e Serviço de Informação Militar, António Indjai adiantou que no dia em que entender que será preso pelos norte-americanos vai suicidar-se.

«Vou dizer-vos publicamente que ninguém vai-me deter com as mãos. Vão suicidar-me. Já conheci os usos tradicionais da minha etnia», declarou Indjai.

No seu discurso, o Chefe das Forças Armadas disse estar com ódio de pessoas de raça «branca», justificando que estas assassinaram o seu pai durante a luta armada de libertação nacional.

Além destes aspectos, António Indjai acusou tudo e todos: a comunicação social, sociedade civil, Liga Guineense dos Direitos Humanos, poder político, Assembleia Nacional Popular, magistrados, acusando algumas pessoas de se envolverem nas questões étnicas raciais na Guiné-Bissau, entre as quais Bitchofula Na Fafe, Cipriano Cassamá, Vicente Pungura e Ibraima Sow.

O Chefe das Forças Armadas ameaçou atacar com catana Ibraima Sow porque, alegadamente, este teria afirmado, no âmbito dos acontecimentos de 21 de Outubro de 2012, que Indjai ordenara a morte de jovens militares acusados de envolvimento directo no Quartel de Base Aérea de Bissalanca.

Em relação à sociedade civil, que foi representada no encontro pelo seu Presidente Jorge Gomes, acusou o grupo de ter permitido o golpe de Estado de 12 de Abril, considerando que se não fosse a comunidade internacional e se os militares tivessem dirigido o destino da Guiné-Bissau até esta dada, o país estaria melhor endireitado em termos de governação.

António Indjai apelou aos próximos governantes a saírem das urnas depois dos pleitos do próximo 24 de Novembro e a se pautarem pela boa governação em prol do desenvolvimento da Guiné-Bissau.

A falta de condições de trabalhos para os agentes do Serviço de Segurança foi outro dos aspectos levantados por Indjai.

Por último, o Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas da Guiné-Bissau afirmou categoricamente que não vai para a reforma. «Não vou para a reforma, assim como também não vou morrer porque não fiz mal a ninguém», disse.

Sobre este discurso, uma fonte do Serviço de Segurança guineense confidenciou à PNN que discorda complemente do teor do discurso de António Indjai, porque o momento não era oportuno para este efeito, uma vez que o encontro visava a busca de estrangulamento no sector sobre vários casos de mortes verificadas no país, desde a sua independência até esta data.

Nos dois dias do encontro os participantes vão abordar, entre outros assuntos, o funcionamento do Serviço de Segurança durante a luta armada, o Serviço de Segurança e Contra Inteligência Militar após a independência e a sua interdependência, assim como o funcionamento deste serviço após abertura política.

A convergência e divergência entre o Serviço de Segurança e Contra Inteligência Militar, a sua decadência, causa e origens e como ultrapassar estas divergências são ainda outros assuntos do encontro.

Os trabalhos terminam com o tema sobre a contribuição da sociedade civil no contexto actual no processo de segurança nacional e a lei orgânica número 7 2010, do dia 22 de Novembro.

(c) PNN Portuguese News Network

2013-08-16 17:36:38

MAIS ARTIGOS...
  Guiné-Bissau: Paulo Gomes reconhece derrota e recusa apoiar candidatos na segunda volta
  Guiné-Bissau: José Ramos-Horta aceita as críticas do líder da UPG
  Guiné-Bissau: Candidato Presidencial do PAIGC acredita em vitória na segunda volta
  Guiné-Bissau: Presidente do PAIGC felicita eleitores pela vitória do seu partido
  Argélia: Eleições presidenciais decorrem esta quinta-feira
  Moçambique: LAM anuncia trasladação das vítimas mortais do voo TM-470
  Cabo Verde: Ministra das Finanças anuncia revisão da lei das privatizações de 1992
  Guiné-Bissau: Empresa russa «Photo SARL» inicia construção da ponte sobre o Rio Cool
  Guiné-Bissau: Resultados eleitorais
  Timor-Leste e China reafirmam a construção das relações bilaterais
  Guiné-Bissau: Missão de Observação de Timor-Leste e Nova Zelândia congratula processo eleitoral
  Cabo Verde: MpD apresenta proposta de regionalização para garantir a descentralização

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:



Hospedagem de Sites Low CostJornal Digital Cabinda Digital Timor Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Cabo Verde Maputo Digital
Notícias no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais